Merlí: Nosso sofista favorito


Por Bruno Machado
Série catalã exibida pela Netflix explica filosofia para o público jovem.

Caros leitores,

O que vocês sabem, ou lembram, sobre filosofia? Qual foi o professor de filosofia mais querido (sim, querido) que já tiveram?  Talvez alguns gostem, outros detestem, mas hoje venho falar sobre um excelente professor de filosofia que tem suas aulas disponíveis  na Netflix.    Produzida, na Catalunha, pela emissora TV3 e exibida na América Latina pela Netflix, a série Merlí relata a história do professor de filosofia Merlí Bergeron (Francesc Orella) que utiliza métodos recreativos, por vezes questionáveis, para explicar filosofia a seus alunos, denominados por ele de “paripatéticos”. Dentre eles, o seu próprio filho, Bruno Bergeron (David Solans), que não tem uma boa relação com o pai no início da série.  Cada episódio possui o nome de um pensador e relaciona suas teorias com situações cotidianas do universo adolescente.

Fora da sala de aula, conhecemos a história de alguns alunos e é nesse ponto que entra o drama adolescente. Vídeos comprometedores vazados na  (os famosos nudes), relacionamentos, percas e conflitos familiares são alguns dos problemas enfrentados pelos alunos do instituto Àngel Guimerá. Entretanto, o enredo não deixa de ser intelectual e aproxima o telespectador dos personagens da drama.

Merlí, um sofista nato, consegue explicar assuntos complexos como o conceito de justiça para Aristóteles, ou a ideia de hipocrisia, segundo Nietzsche, não apenas aos alunos mas aos telespectadores que se apegam ao professor e seus ensinamentos. Você deve estar  pensado: "Ok, a série deve ser boa, mas Bruno, o que raios é um sofista?" Sofistas, caro leitor, eram pensadores da Grécia Antiga, que eram pagos para transmitir o conhecimento que tinham, ensinar. Existe até um episódio com esse nome, "sofistas" .


A série mostra a capacidade que temos de enfrentar problemas cotidianos através do raciocínio, contestando modelos de pensamento como o “politicamente correto”, homofobia, moral e ética, se tornando uma série intelectual e para todos os públicos, mesmo estando voltada para o público adolescentes.

Na Catalunha, já foi exibida a segunda temporada, que ainda não se encontra disponível na Netflix e infelizmente segue sem prazo para estreia.

Bom, se os fins justificam os meios, como dizia Máquivel (também presente na série), então espero que tenha gostado  do texto. Deixe seu comentário, compartilhe,  diga se gostou da série, se gostava de filosofia, enfim... Fala tudo que quiser!


Um forte abraço e até qualquer hora!

Este post foi escrito pelo nosso colaborador Bruno Machado!

Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

0 comentários:

Postar um comentário



@Instagram - mayeosvicios

Posts recentes